riomar melo prosa e verso
Feliz daquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Perfil
 
                                                                                 
  

                                                               
                                                                    
Qual brisa amena que afaga                 
a fronde dos carnaubais                            
quando o gado faz silêncio
na vigília dos currais,                                 
que estes versos espalhem                   
de fé seus mananciais,                            
pelas quebradas e grotas,                      
por ermos e capitais,
do Oiapoque ao Chuí,                              
dos pampas aos seringais...                    
                                                                   
riomar melo
                                                                
                                                                  
                                          
Nada mais complicado para o autor,creiam-me,que prefaciar seu próprio livro. Embora não me seja tão árdua a tarefa,uma vez que pouco tenho a falar sobre mim,ilustre desconhecido que sou,atenho-me a esperança (ousada,por sinal) de que,se pelos frutos se conhece a árvore,meus versos com certeza falarão por mim,pintando com cor mais viva o cenário do meu prefácio.Mesmo porque a maioria dos que se deliciam com os frutos e a sombra,pouco interessa saber quem plantou a árvore e dela cuidou regando-a caprichosamente. É tudo,como sempre,uma questão de esperar.
E confiar.